Semana passada, meu pai me ligou 3 vezes em menos de 24h para saber se já tinha procurado o posto de vacinação. Não tinha. Mas, como o Careca é um cara ligeiro, o mais antenado que conheço na vida, comecei a fuçar na internet.

Primeiro tentei os mais próximos de casa, aos sábados. A lista ficou resumida a UM, que nem era tão perto assim.

Achei mais inteligente ampliar um pouco mais a abrangência da pesquisa.

Tentei vários telefones. Só um atendeu: o da Faculdade de Medicina, na Av Dr Arnaldo. A senhora que falou comigo, super gentil, passou todas as coordenadas, mas, frizou com aquele tom de “não quero te apavorar” que “é bom chegar bem cedo, porque a fila está…. bem grande”.

Beleza. Já temos um no radar. Continuei.

Na terça, dia 16/01, tentei um posto de saúde no Morumbi, porque era o local mais próximo ao cliente no qual estou trabalhando. Telefone, pelo visto, só estava no google para indexar mesmo, porque ou caía no fax ou na caixa postal. Fui a pé. 2.600km. Cheguei lá fora do suposto ‘horário de pico’, pensando (ô inocência, sabe de nada!) que teria êxito na tentativa.

Mais de 100 pessoas aguardando na rua, nenhum funcionário na recepção para explicar qualquer coisa, apenas 100 senhas que já haviam sido distribuídas cedinho, pela manhã. Gente que nem barata tonta, sem saber o que fazer e sem informação. Desisti e voltei para o escritório.

Na quarta, 17/01, decidi tentar a sorte na Escola de Medicina, que fica na esquina da Av Doutor Arnaldo com a Teodoro Sampaio. Na boca do metrô, perto de casa. Cheguei lá e me deparei com umas 500 pessoas na fila da vacinação. A senhorinha que me atendeu foi bem realista.

Descobri que, não tendo o cartão do SUS, antes de qualquer coisa, deveria ir para outra fila, para fazer o cartão.

O mais impressionante: a estrutura de organização deles. Um mundo de gente pra todos os lados e TODOS os funcionários extremamente gentis, solícitos, agilizando atendimento, tirando dúvidas…

Fiquei 1h na fila do cadastro. Neste meio tempo (conto tudo no vídeo), as senhas lá fora estavam acabando (a Faculdade distribui 1000 por dia, em dois lotes, pela manhã), mas a equipe de lá foi tão bacana que uma funcionária foi até a fila das pessoas que estavam na fase 1 do processo (como eu, para fazer ou validar os cartões que fossem de fora da cidade) e nos entregaram senhas. “Vocês já estão aqui, né… É justo”.

Falando de serviço público no Brasil, parece mentira, né? Não foi…

Dali em diante, mostro no VLOG um pouco do dia para vocês.

Além das filas já esperadas (pela proporção de toda a situação) e da paciência necessária, muita gente estava perdida e fazendo as mesmas perguntas para os funcionários.

Então, vamos agilizar a vida das pessoas que, assim como eu, desconheciam o procedimento:

Menor de idade – vacinação contra Febre Amarela

Menor de 18 anos não recebe a vacina sem a carteirinha de vacinação. Portanto, lembre-se de levar.

Cartão de SUS

Você precisa do seu número do cartão do SUS para tomar vacina. Se você não tem o cartão, para o SUS, você não existe.

Como saber se existo pro SUS?

Vá ao posto de saúde e valide seu número. Leve seu RG.

Dá pra fazer o cartão do SUS na fila para tomar a vacina?

Não. Você pode fazer NO LOCAL, mas são filas diferentes. Primeiro, faça o cartão ou valide o número do seu cartão. Depois, dirija-se à fila da vacina.

Na Faculdade de Medicina, só me pediram o RG e infos de endereço para fazer meu cartão, mas não precisei apresentar comprovante de residência. Soube que em alguns postos, o comprovante (conta de luz, por exemplo), é solicitado. Na dúvida, leve, tá?

Qual é a melhor hora para tomar a vacina?

Considerando os grandes centros entrou urbanos, o ideal é chegar cedo para resolver o cartão e pegar a senha para vacinação. Se já tiver o seu, você já vai direto, pega a senha e aguarda na fila.

O que levar na vacinação contra a febre amarela?

Cartão do SUS, carteira de vacinação para menores de idade e seu RG.
Sinceridade? Se você for em um posto aberto (meu caso, olha o vídeo), leve uma garrafa de água, um biscoito, uma fruta… Vi pessoas com aqueles banquinhos de desmontar e, na real, achei ótimo.

Agora, deixo a vocês o depoimento da Aline, que está no nosso grupo do canal do Youtube, e foi até um posto de saúde na Voluntários da Pátria:

Tomei na semana passada em um posto do SUS na Voluntários da Pátria, fiquei menos de 2 horas na fila.

Nesse posto estava tudo super organizado, porém como tinha muita gente para tirar o cartão do SUS eles estavam anotando as coisas em um papel e entregando para as pessoas, quem fez o meu foi até o rapaz que fica na área para retirar os remédios do posto.

Assim como aconteceu com você uma pessoa estava distribuindo as senhas para quem estava fazendo o cartão. De manhã liguei no posto, tirei todas as minhas dúvidas, cheguei às 13hs, para a tarde distribuiram 300 senhas, peguei a 247, quem chegava às 14hs já não conseguia mais garantor a dose, aí perdia a viagem. Na parte da manhã falaram que 1000 pessoas tinham sido vacinadas.

Mas uma coisa devo ressaltar nesse posto da Voluntários da Pátria, os profissionais foram super gentis, esclareceram todas as dúvidas de todo mundo, falavam para todos quem pode, ou não tomar a vacina, o tempo para ela agir no nosso organismo, quais as possiveis reações e para quem é idoso, ou estava com criança tinha prioridade no atendimento. Com relação a esse posto me surpreendi positivamente.

Espero que ajude! Boa sorte, Turma.

 

[VÍDEO] S.O.S. MARY KAY: LINHA DE BASES AT PLAY | COM BATE-PAPO COMPARATIVO TIMEWISE
3 acessórios para transformar seu look: scrunchies, mini bolsas e maxi brincos

Comentários

comments

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.