Comprei e ‘quase’ nunca usei: vestido que parece 2 peças

0
Avalie este Post

A Aninha [Soares] tem uma tag no blog dela que adoro: Comprei e nunca usei. O caso do meu look de hoje é ‘tipo Net’, comprei esse vestido na Collins há uns 8 anos e quase nunca o usei.

Contei aos seguidores do Instagram (me segue aqui, @sitedacris) que é impressionante a diferença no meu olhar de hoje para as roupas e para meu armário em si, depois de ter feito a minha análise de coloração pessoal e ter entendido melhor meu estilo principal.

Esta roupa não tem nada a ver com meu estilo. N-a-d-a.

Olho para ela e lembro exatamente o dia e o momento em que a comprei. Fiz o que hoje sei que a gente nunca deve fazer nessas ocasiões de promoção: andava no shopping sem qualquer propósito. Dei de cara com a vitrine da Collins que tinha etiqueta de ‘sale’ e ‘%’ no vidro todo e em todo o interior da loja, todas em vermelho.

Entrei e comecei a ver as araras como quem não queria nada… Levei umas 6 peças pro provador. Fui pra casa com 4 delas.

Quatro peças que não precisava, diga-se de passagem.

Uma saia que foi adquirida nesta mesma compra, ficou com a etiqueta pendurada por meses. Hoje, sei que senti culpa assim que entrei em casa. Sei que tentava justificar a compra que havia feito por puro impulso, imaginar situações para vestir essas peças mas, lá no fundo, eu sabia que tinha cometido um erro.

Este vestido, em especifico, me chamou atenção por 2 pontos: a gola tem um detalhe diferentão que, lá atrás, eu curti. A saia é preta, tem elastano mas não é justíssima ao corpo, o que para ambiente corporativo mais formal (era o caso, na ocasião) estava perfeito.

O ponto que quero compartilhar com você aqui é: quantas compras são feitas desta forma? “Tá na liquidação? Levo. Depois penso SE combina, SE curto mesmo. O lance é não perder a oportunidade”.

Certo? Erradíssimo!

Vai é dinheiro pro ralo nesse pensamento, fica armário abarrotado de insatisfações. Sim, porque roupa parada que faz a gente olhar aquilo tudo e sentir que tem NADA pra vestir é pura insatisfação.

Briga com o par, decepção profissional, desavença com família ou amigos, insatisfação com a balança… tudo pode ser gatilho para autossabotagem e é nossa função ficar ligeiro, porque a placa em vermelho com sinal de % em fonte imensa não está ali à toa. Ela realmente mostra uma oportunidade. A questão é a gente perceber se necessita daquela oportunidade naquele momento porque comprar é gostoso, claro! Mas deve ser gostoso por motivos sadios, não para preencher lacuna (foi o meu caso, lá atrás, na compra deste look).

Esta compra da Collins me marcou tanto que lembro de todo o momento dentro da loja, olha que louco…

Este ano, meu exercício com relação ao armário é girar o que está ali muito mais. Portanto, dei meu truque: coordenei com sapatos que adoro, fiz uma make e lá fui eu.

E você, que tal abrir o armário aí e ver o que já pode colocar para girar também? Qual foi a sua peça que ficou encalhada porque foi comprada no impulso e você nunca ou quase nunca usa? Vamos compartilhar as informações e formar uma corrente pra frente, que tal?

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here