Rotina coreana de skincare: vale pra cá também?

0

Se você é uma pessoa ligada em cosméticos, já deve ter ouvido falar da famosa rotina coreana de skin care.

Tá uma festa do caqui de máscara de tudo quanto é coisa nas lojas, conteúdos e mais conteúdos mostrando 7, 10, 14 passos de rotina (benza deus a abundância do povo brasileiro, Senhor!).

Engraçado é que o boom da rotina sul-coreana no mundo foi lá em meados de 2010 (entre 2010 e 2015 foi o auge mesmo). Tanto assim que o faturamento das principais marcas não para de crescer desde então. Os balanços de 2017 indicaram faturamento acima de 10 bilhões de dólares. Na mesma proporção, o país tinha a taxa de cirurgias plásticas, por habitante, mais alta no mundo, nos últimos anos.

O que é a rotina coreana

Nada mais é do que um ‘método’ de cuidados com a pele que varia de 7 a 14 passos diários ou intercalados, que envolvem:

#1: Remoção da maquiagem e impurezas à base de óleo

#2: Higienização à base de água

#3: Esfoliação

#4: Tonificação

#5: Máscara

#6: Essência

#7: Tratamento

#8: Creme para a área dos olhos

#9: Hidratação

#10: Proteção solar

Estes são passos de uma rotina coreana mediana.

Pisando em solo brasileiro, lembramos que…

A pele das coreanas é admirada no mundo todo tanto pelo viço quanto pelo aspecto de qualidade. E é exatamente por esses 2 pontos que eu começo a nossa conversa para vermos se o que funciona pra lá pode ser aplicado literalmente neste país tropical abençoado por Deus.

Produto é uma coisa, resultado de pele é outra coisa

Vamos lá: nossa pele é um planetinha, sempre falo isso no Youtube pra vocês.

Sinceramente, não acredito em receita de bolo quando o assunto é pele. Cada pele é um órgão e este órgão tem especificações que tendem a funcionar similarmente na maioria das pessoas mas que podem não ser generalizadas.

Acho que o grande beneficio que a propagação massiva desta rotina coreana trouxe no mundo todo é a consciência escancarada de uma disciplina necessária para alcançar os resultados possíveis com uso de cosméticos de boa procedência e aos quais nossa pele reage feliz.

Genética e estilo de vida

Noves fora todos os apelos de marketing e consumo, não pire: a genética sul-coreana é outra.

A cultura de sol aqui é totalmente diferente da de lá

A gente aqui tem muito sol, toma mais sol direta e indiretamente (não sei se todo mundo sabe mas o sol indireto também queima e também atua na pele), nosso estilo de vida tem outro ritmo…

Quer ver só?

Chega final do ano e a maioria do povo vai pra onde, Brasil? Esturricar nas areais escaldantes, liberar a alma Tieta do Agreste que habita cada um de nós…

Água interfere

A água que vai nas fórmulas dos produtos, a água que a gente lava o cabelo, manipula os alimentos…  é diferente.

Alimentação

Na Coreia do Sul, a alimentação tem base forte em gengibre e vegetais, além de ingredientes altamente benéficos em antioxidantes e probióticos.

É impossível pensar em resultado de cosmético sem avaliar o estilo de vida de cada pessoa, cada grupo

Não adianta colocar o creme no escuro, de cabeça pra baixo no armário, que nem se faz com o pobrezinho do Santo Antônio até ele arrumar bofe para gente.

A atuação do cosmético é uma atuação extremamente limitada. É superficial e tem que ser assim mesmo. Ele não é medicamento. O termo “uso tópico’ significa exatamente isso: uso na pele. Então, sendo a pele um órgão que reage às condições sob as quais está submetida, como é que a gente tem expectativa de que vai agir do mesmo jeito em todos os planetinhas?

É utopia. Não rola.

O Victor do @ofoilfree disse uma frase fantástica em um vídeo da Thamires Nascimento, sobre o ‘perigo de virarmos reféns de cosméticos’. Foi um jeito bem científico para minha frase de anos:

Não transforme o segmento cosmético na nova fast fashion (fast beauty) porque o prejuízo é bem maior do que ter roupa-mico no armário e não rola ‘bazar’ de fim de ano. Produto saiu do tambor e foi pro envaze, já começou o countdown da validade. Abriu? Potencializa a corrida na validade do cosmético… É assim.

@sitedacris

A pele tem seu ciclo de renovação constante e a inteligência de resposta aos estímulos. É pra essas respostas que a gente precisa olhar e ENTENDER se, para NÓS, todos os produtos fazem sentido e funcionam.

Cosmético não faz milagre. É uso continuo, é observação, é…

disciplina!

E esta é a palavra que mais resume, pra mim, o que a rotina coreana nos traz de lição, mais até do que qualquer produto bárbaro que a gente descubra: a disciplina que essa galera tem. Sem preguiça de remover impureza e maquiagem do rosto mesmo chegando travada de balada, sem preguiça de usar 3 minutos para o fotoprotetor …

Tem 2 fatores no meio disso: o que você QUER ESCOLHER e o que a sua pele REALMENTE PRECISA.

Portanto, lance a você mesmo a pergunta: minha pele precisa de tudo isso? A pele precisa de limpeza, hidratação e FOTO PROTEÇÃO. E, se quiser resumir mais ainda: precisa de limpeza e fotoproteção.

Todos os cremes que chamo de periféricos (que giram em torno desses 3 pontos) são adendos.

Tônico e Essence, por exemplo são bacanas, muita gente transformou num ‘tem que ter’ mas, na real, são 2 produtos que até anteontem não existiam em nível global e a cara de ninguém caiu por causa disso…

O que quero dizer é: a quantidade de ofertas e de informação é mesmo uma maravilha, mas, muita coisa não é fundamental, entende? Se dá pra comprar, lindo! Se não der, tá tudo bem.

Defina seu momento no cifrão: $, $$, $$$ ou …?

Escolher esses produtos todos tem um custo ALTO para muita gente aqui no Brasil, principalmente, se a gente considerar que os melhores produtos na rotina coreana são importados.

Há marcas como a Shiseido, a LG e a Hadalabo que só melhoram fórmulas e tecnologias a cada ano. Não à toa, os balanços financeiros só apontam crescimento, inclusive.

MAS o que a gente esquece é que nem tudo que é produzido no mercado internacional atende nossa pele, aqui. Tenho certeza que você vai lembrar de algum caso de compra de creme, perfume, até base lá fora que, quando chegou aqui, não conseguiu usar…

Considerando todos os pontos acima e, sobretudo, o mercado-alvo para o qual essas marcas atuam, não da pra dizer que a taxa de sucesso de trazer pro Brasil esses produtos e esperar que eles funcionem 100% em TODOS os tipos de pele é super alta. Não tem como ser.

Consulte seu dermatologista sem preguiça

A ÚNICA pessoa que pode te dar certeza de quantos desses passos a sua pele precisa é seu dermatologista.

Se a gente entender que eu e tantos outros colegas aqui na internet existimos para informar você, para apresentar outros pontos de vista e enriquecer a sua base de conhecimento e você filtrar tudo isso e construir a SUA narrativa, a gente consegue chegar ao ponto de viver com uma internet bem mais pacifica, menos ansiosa e mais rica pra todo mundo.

Marcas terão clientes felizes e consumindo com valor e vontade. Produtores de conteúdo terão audiência parceira e todos nós, clientes, mais informação de melhor qualidade.

Se por ora não rolar uma consulta, não pire: comece pelo básico-necessário: remova maquiagem e impurezas e use protetor solar.

Créditos: via GIPHY

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here