Co-Wash, No-Poo e Low-Poo: o que são essas técnicas?

0
Avalie este Post

Vamos começar esse post com uma confissão: dos 3 termos aí do título, só conhecia o Co-Wash e, assim mesmo, tinha um entendimento bem errado da coisa.

Desde o ano passado, a nossa turma aqui do blog acompanha minha saga para encontrar shampoo que deixasse meu cabelo feliz. Nas reuniões de pauta com a Sil para os roteiros do canal, disse a ela que queria variar mais os tipos de vídeo, porque o canal está crescendo e as diferentes demandas dos seguidores, também. Ela sugeriu a pauta do Co-Wash, entrou em contato com a Yamá e a marca, prontamente, me mandou o presskit com o Less-Poo, o Co-Wash e o creme Yamasterol (o amarelinho). Kit em mãos, lá fui eu estudar e vou resumir aqui para vocês o que aprendi.

No-Poo, Low-Poo e Co-Wash são termos em inglês, mas bem simples de serem compreendidos, olha só:

No-Poo

“No” [não] Poo: Adeptos da técnica No-Poo, devem abolir 100% o uso de shampoo e, para substituir o trabalho de higienização que um shampoo faria, utilizam produtos denominados Co-Wash que são, simultaneamente, higienizadores do couro cabelo e condicionadores para os fios e o couro cabeludo, porém, mais suaves do que os habituais do mercado.

Low (ou Less)-Poo

Low (ou Less) [menos, pouco] Poo: Adeptos da técnica Low-Poo utilizam shampoos sem sulfatos (o famoso responsável pela espuma toda que se forma na cabeça) e petrolatos e seguem à risca essa norma. Existem listas com todos os sulfatos e petrolatos proibidos em diversos blogs que consultei. Assim, os iniciantes das técnicas se orientam melhor.

A prática do Co-Wash e do Low-Poo

A adesão às técnicas de cuidado com o cabelo visa um único fiim: dar mais saúde aos fios, livrando-os de componentes nocivos na lavagem, que retiram a hidratação e a umidade (como é o caso dos surfactantes ou tensoativos, que deixam nossos fios ressacados e danificados com o tempo). Também são banidas as substâncias derivadas do petróleo.

Ganharam mundo por causa do best-seller “O manual da garota cacheada”, da cabeleireira americana Lorraine Massey (traduzido para o português em 2015). No livro, ela dividiu com as leitoras vários métodos de cuidados, dentre os quais estão o Co-Wash, o Low-Poo e o No-Poo.

O mais importante é realmente entender quais são os componentes permitidos e quais são os proibidos, porque uma vez que a gente comece a desintoxicar os fios, o processo fica igualzinho ao detox de alimentação: não adianta a gente passar 2 semanas à base de suco e sopa, após 30 dias jacando e se entupindo de fritura e gorduras, para, depois das 2 semanas, jacar tudo de novo e por o tratamento todo a perder.

Quem vira adepto da técnica No-Poo ou da Low-Poo começa um tratamento capilar de liberar resíduos, começa a manter os fios saudáveis naturalmente (no caso do Low-Poo, existe uma lista de sulfatos permitidos e silicones, desde que sejam solúveis em água).

Isso funciona assim, gente: shampoo com sulfato, petrolato e condicionadores que entopem nossos cabelo de silicone criam uma espécie de capa em volta do fio, mas isso nem de longe é sinônimo de saúde. É apenas uma capa que será removida na próxima lavagem, com mais sulfato. Se você não está usando produtos que contenham sulfato, a lógica é que o shampoo seja mais leve.

Como recebi o presskit da Yamá, gravei um vídeo pro canal (aqui) e nele mostro a experiência completa, inclusive com a lavagem) para vocês verem.

Só queria deixar um testemunho antes de direcionar vocês para o vídeo: se vocês partirem para essa técnica de desintoxicar os fios, tenham paciência nas primeiras lavagens. Lembro que, quando comecei a liberar meu cabelo dos produtos repletos de componentes que ‘encapavam os fios’ e iniciei a busca com shampoos mais saudáveis (ainda não era Low-Poo ou Co-Wash, eram só os conhecidos ‘sem sal’), foi um horror. Meu cabelo sentiu demais por umas 2 semanas (de verdade, quase desisti), até começar a aceitar a liberdade e viver no esquema “felizes para sempre”.

Logicamente que, quando vou à praia ou piscina, ele sofre com os danos da água do mar, do cloro e da vida esturricada que eu levo, mas hidrato, protejo, enfim… Hoje, digo para vocês que estou bem mais feliz. Não sou adepta do Noo Poo, mas curti demais o Less (ou Low Poo).

Leia também:

Dicas e dúvidas sobre Co-Wash, No-Poo e Low-Poo: as técnicas funcionam mesmo?

Vídeo da resenha e explicação sobre as técnicas

Fontes de consulta:
Ecycle.com.br
Cabelos de Rainha
Cacheia
Vegan Mariii (Canal da Mari Morena)
Maquiagem Amiga (Canal da Gabi Vasconcelos)

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here