Cartela de cores Primavera Brilhante

0

A consultoria de estilo com análise cromática nos ensina muito sobre formas e também sobre as cores.

Como falo nos vídeos do canal, é muito bacana (e econômico, na real) conhecer as cores que mais nos acendem e aquelas que a gente pode até adorar, mas que ressaltam olheiras, empalidecem nossa fisionomia, ou seja; derrubam geral.

Minha cartela de cor é a Primavera Brilhante. É uma cartela que tem como característica a família dos tons quentes, aqueles que levam mais amarelo na composição. O que nem todo mundo sabe é que de certa forma, a Primavera brilhante também contém cores frias e, por isso, considera-se uma cartela relativamente neutra.

Cores-chave da cartela primavera-brilhante: as de coloração quente e viva. São cores alegres e fortes. Se a gente conferir na minha cartela física, há vermelho, azul, amarelo, verde como cores principais. E a seguir, vários neutros e outras cores, para uso moderado.

Era uma vez um armário…

Acho muito importante dividir com vocês o que aconteceu comigo, quando fiz a minha análise de cor. Mais de 70% do meu armário era de peças PRETAS. Não tô brincando. Quando eu peguei na mão a cartela física e vi que era um arco-iris eu fiquei meio passada, confesso, mas brasileiro não desiste nunca né? Tratei rapidinho de entender em que partes do corpo as cores fazem mais efeito (esse lá de cima de acender ou derrubar) e fui criando meus legos nas coordenações por aqui.

Acho muito importante falar isso com vocês porque a gente aprende a usar X cores que favorecem, mas, a realidade de comprar ou modificar armário é bem desigual no Brasil e acho muito mais útil abrir a criatividade do que entuchar regra goela abaixo.

O que eu fiz ao perceber que meu armário estava bem distante da minha cartela foi alterar mais cores de acessórios, maquiagem, cabelo e priorizar para a parte superior do corpo (blusa, top, vestido tomara que caia, jaquetas etc) peças que me acendessem, ou seja: fossem da cartela. E, óbvio, carregava a bendita pra cima e pra baixo pra caso rolasse alguma compra inesperada, eu não caísse no hábito de cores ‘não muito legais’ pra mim.

Os especialistas nos dizem que devemos evitar cores mais desmaiadas, como as opacas, as que são muito suaves ou profundas, como se fala na consultoria. Em termos de cores neutras, podemos considerar os tons que puxam para os terrosos (como o camelo e o creme), além de neutros chiques como o azul marinho!

Se você curte acessórios, nossa cartela aceita dourado (ficamos super bem com acessórios dourados, por sinal, eles abrem e iluminam a gente, é impressionante) mas também o prateado mais aceso.

Uni duni tê: combinar com o quê?

Tive essa dúvida, vou encurtar seu tempo de busca sobre ela. Pensa comigo:

O mais fácil de tudo é o look “caí na tinta”, o monocromático. A gente escolhe uma cor e pimba! Vai dos pés à cabeça com ela. Não tem erro. Aqui, vale inclusive, uma oscilada nos tons. Por exemplo: um look monocromático verde com a calça mais clara que a blusa. Considere também que a própria textura do tecido já pode fazer esse trabalho por você. Como assim? Se uma peça tem tecido plano e a outra, não, ainda que ambas sejam da ‘mesma cor’ você vai notar diferença por causa do tipo de tecido e isso além de chique é criativo.

O look monocromático tende a alongar a nossa silhueta, dependendo das proporções e do corte das peças casadas com nosso biotipo. Não acredito que em 100% dos casos a regra se aplique, mas acredito que funciona em muitas vezes.

Use melhor o círculo cromático

Cores análogas e complementares

Saindo do esquema lata de tinta e começando a pensar em coordenações com mix de cores, a gente ganha uma ajuda importante: a do amigo círculo cromático:

Cores análogas (as que estão ao lado uma da outra) ou as complementares (as que estão em ângulo exatamente oposto uma da outra) geram coordenações bárbaras, porque o contraste entre essas cores é super interessante e pode versatilizar muito o que a gente já tem nos cabides e nas gavetas. Uma mesma blusa pode render vários looks além do óbvio de sempre.

Agora, vamos supor que você tenha vários looks mais estampados (geométricos, florais, listras) e ficou com dúvida. Dica: tendo uma ou mais cores dentro da sua cartela, ninguém está perdido. Várias vezes em que uso uma estampa muito fora da ideal e que não me ‘acende’ como costumo falar, recorro à  terceira peça e coloco junto. Ela está bem próxima do meu rosto e fará o equilíbrio perfeito que eu preciso ou busco.

E, olha, se você chegou aqui em busca de inspirações, pense que tudo tem jeito. Separe seus acessórios: lenços, bijoux/ jóia, elementos de cabelo (tiara, presilhas, elásticos coloridos ou decorados) e vá pra frente do espelho alterando tudo isso com as roupas. É incrível como a gente descobre novas possibilidades a partir do que já tem.

E mais importante que tudo: não se cobre um armário novo em 30 dias. Lembre-se que muitas pessoas que hoje trabalham com isso e farejam de longe o corte das peças em lojas descoladas e nem tão acessíveis, um dia estiveram assim, em busca de um novo posicionamento. É caminho, é passo a passo e você chega lá.

Mais ideias de look para você se inspirar: AQUI

Pantacourt sobreposta

Pantacout sobreposta da Youcom, aqui

Kimono azul Amaro

Confira o kimono da Amaro, aqui

Macacão tricô com amarração

Confira este macacão de tricô da Amaro, aqui

Blaser amarelo amaro

Confira o blaser amarelo em Linho, da Amaro, aqui

Espero ter clareado um pouco suas dúvidas, mas, se tiver outros questionamentos, solta o dedo no comentário que juro que não vai parar no limbo das amizades.

* Este post não é patrocinado. Alguns links são afiliados de marcas e lojas parceiras, ou seja; comprando algum produto por estes links, o blog recebe uma pequena comissão. Você contribui com a continuidade dos nossos conteúdos gratuitos e te agradeço demais por isso! 😉

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here