Pode ter fogos dia 31 de dezembro, pode ter roupa nova e calcinha de trocentas cores seguindo trezentas matemáticas de soma de dia com mês com século… Mas, de verdade? Nossa vida só vai mudar fora se acontecer o que, Brasil? Se a gente escolher mudar por dentro.

E a maior constatação de postergação possível é a quantidade de gente fazendo lista, propondo fórmulas mirabolantes de metas todo santo ano. E de novo parte de tudo que foi prometido 12 meses atrás volta na atual, maquiado, escrito com mais ou menos poesia, mas tá tudo ali de novo…

A gente cria fôlego para o ano novo. Fato. Aliás, fiquei passada com a quantidade de gente eufórica na última semana de dezembro. Via pessoas num gás que nem juntando os outros 11 meses daria conta. Algumas, bem próximas a mim, chegaram em novembro se arrastando, num desânimo profundo. Foi só falar de réveillon que … PLIM… fez-se a mágica.

O apelo do ‘vamos de novo’, ‘nova chance’ e ‘livro em branco’ é realmente sedutor. A gente sabe que é um simples dorme x acorda, mas se renova no psicológico. Teve a galera que, neste ano, aderiu à modinha de jogar pro ano (?) responsabilidades: 2019, seja leve, seja isso, seja aquilo (eu fiz isso, inclusive!!!).

Tem todo o apelo do meio externo para dar aquela forcinha… E parece mesmo que isto traz resultados porque sabemos que é só uma noite (ou pra quem vira, um dia) que a gente dorme pra acordar horas depois e que o externo não muda nada de acordo com calendário. É a nossa crença depositada em um calendário criado que muda alguma coisa.

Se a gente consegue estabelecer que no começo de dezembro já está todo mundo pelas tampas e de saco cheio com o ano todo que já passou e, mesmo assim, consegue sentir euforia e alegria pelo sopro do novo alguns dias e algumas horas de 1 noite no dia 31, que tal ampliar o nosso psicológico para mais dias ao longo do ano? Seria um exercício interessante para sairmos do ócio estacionado e começarmos a viver a vida sonhada, a que ficou na lista do ano passado e não se cumpriu.

E por quê?

Porque a virada de chave não tem nada a ver com virada do ano. Tem a ver com a iniciativa que temos DENTRO de nós mesmos como caminho para novos resultados: com novas atitudes.

Pense bem no primeiro dia que você desistir de ir à academia e ceder à preguiça, esse ano. Pense bem no primeiro dia que você ceder à qualquer uma das coisas que estavam na lista de 2019. Porque este é o momento inicial da ladeira abaixo no fiasco das metas estabelecidas.

É lógico que há coisas que serão adiantadas e não concluídas e isso depende total do que foi almejado. Os passos e os processos são importantes demais! O ponto é a gente não caiu na armadilha do desleixo, do não ver exatamente a hora em que vacila UMA vez e essa vez torna-se um hábito sabotador.

Há também aqueles que criam listas quase inatingíveis. Não vale…

Li um material super bacana que explicava o gap existente na nossa energia entre o degrau que ocupamos agora e o que queremos atingir. Se houver uma lacuna muito grande, é melhor irmos aos poucos, degrau por degrau, porque assim a taxa de sucesso será maior. O autor explicava que se pedíamos um salário de, por exemplo, 5 vezes mais do que ganhamos agora já tendo todo o preparo para recebê-lo, naturalmente, já o teríamos porque nossa condição vibrátil já estaria atraindo este valor desejado.

Levei semanas até entender (acho que até aceitar, na real) que isso faz todo sentido. Na maioria das vezes, a gente pede o que NÃO TEM, ou seja: a vibe, aquela fé que a gente deposita na realização da meta não tem ressonância, porque não a sentimos manifesta dentro de nós. Entende o ponto?

Neste ano eu decidi não fazer lista. Decidi colocar 3 coisas possíveis como meta e decidi pensar nelas todos os dias quando acordo e antes de dormir.

Decidi ser mais atenta ao presente, sem angústia pelo futuro e sem remoer o que já passou. E isso para mim já é coisa para caramba!

E você, o que decidiu para este ano?Quer dividir com a gente?

Beijo e um super 2019 para você!

Seu conteúdo é valioso demais para você aceitar qualquer coisa
O que levar de maquiagem na viagem para praia? Dicas e itens que trouxe

Comentários

comments

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.