Palavras, gestos ou somente um sorriso fazem diferença na nossa vida!

Por Rochelle Veras

Oi, Gente! Demorei mas voltei trazendo um tema que tem sido motivo de muita observação para mim: o elogio.

Desde que comecei a pensar na segunda pauta para minha coluna aqui no SC, tenho observado como é importante para as pessoas sentirem-se elogiadas e, nas minhas reflexões, constatei uma coisa: afinal, quem não gosta mesmo de ser elogiado? De realizar uma tarefa no trabalho e tê-la reconhecida pelo chefe – melhor ainda – quando o elogio é feito perante toda equipe… Ou, quando você prepara uma refeição e seu parceiro, seus filhos ou amigos falam o quanto estava maravilhosa… Quem não sente alegria nessas circunstâncias? Ser valorizado desperta bons sentimentos em qualquer indivíduo.

casal-sorrindo-a-importancia-do-elogio

Este seria o cenário perfeito e sei que aí do outro lado da tela, você pode estar pensando “É, isso seria o mundo ideal, só que não é bem assim no dia a dia…”

Verdade. Nossa sociedade ainda tende à valorização excessiva à critica, com muitos grupos que não valorizam as conquistas, mesmo que sejam pequenas e isso é lamentável.

A prática do elogio é fundamental na formação de um indivÍduo.

O elogio tem extrema importância na autoestima e na segurança.

A criança precisa ser elogiada para ser impulsionada. Basta observar o comportamento de um bebê quando ele faz algo considerado “bonitinho” pelos pais. Já notaram a reação de um bebê quando começamos a bater palma? Ele responde no mesmo momento, inclusive, repetindo o ato que gerou o elogio direcionado a ele.

Quando crianças, precisamos sentir que nossos pais aprovam e valorizam as nossas conquistas pois, se sentirmos o contrário, podemos perder a confiança que temos em nós. É importante que os pais se atentem e demonstrem esse valor dos comportamentos positivos de seus filhos. Só assim as crianças crescem com o sentimento e segurança mais sólido.

criancas-fraternidade-importancia-do-elogio

Logicamente, a segurança passa por processo de adequação com o tempo, e isso varia de indivíduo para indivíduo, conforme o amadurecimento acontece, mas a criança que já possui uma imagem positiva e segura de si mesma tem muito mais chances de se tornar um adulto melhor para ele mesmo e para o mundo.

Quando adultos, cabe a nós saber moderar as críticas, tanto a autocrítica quanto aquelas que recebemos do outro. Passa a ser nosso dever reconhecer quando as críticas são positivas – feitas para melhorar nosso desenvolvimento interno – e, quando são feitas por pessoas que só querem minar nossa autoestima. Mais importante ainda é saber dosar as críticas que nos fazemos. Se é importante elogiar seus filhos e seu próximo, porque não seria importante se autoelogiar? Reconhecer suas qualidades? Suas boa atitudes e conquistas?

five-people-smiling-at-each-other-at-table

Na maioria das vezes, somos extremamente cruéis conosco. Julgamos nossas atitudes, às vezes não achamos que fazemos o suficiente, nos intitulamos de “burro”, “gordo”, “feio”, “fraco”, entre tantos outros estímulos negativos que podemos nos dar.

Se você se identificou com o parágrafo anterior, levanto mais uma bola para você pensar: a forma com que você fala com outra pessoa é a mesma com que fala consigo?

Normalmente não é… Existem pessoas extremamente severas com elas mesmas e doces em excesso com todos em volta. Existem pessoas extremamente amáveis consigo e cruéis com os demais. Existe desequilíbrio…

Se somos cruéis conosco e amorosos com os outros, via de regra, nos falta autoestima. Se somos amáveis conosco e cruéis com o mundo, estamos a um passo da solidão.

Se a crítica se torna tão mais necessária do que o elogio, tente ponderar nas palavras.

Um ótimo exercício que deixo para vocês é o de verificar o motivo, e não só o defeito ou a parte ruim (que levou à crítica). Apresente sempre o que pode ser bom, e ainda mais, apresente uma solução adequada para o tal problema.

Quanto mais nos cobramos, quanto mais nos diminuímos mais machucamos a nossa autoestima, mais desconfiamos de nossa capacidade e só nos prejudicamos. Nos tornamos tristes e inseguros, sem confiar em nós mesmos e, quando nos damos conta, notamos que tal comportamento afetou todos os aspectos de nossa vida.

Elogiar gera equilíbrio. Quando somos mais amorosos com os outros e, principalmente, com a gente mesmo, quando nos amamos com tudo de bom e tudo de ruim, melhoramos. Crescemos.

Tente criticar menos, SE ELOGIE, se olhe e veja o quanto já conquistou, o quanto já batalhou e foi vitorioso nessa vida.

É um trabalho árduo e diário, mas todos somos capazes.

Até a próxima!

Rochelle Aweida Veras é psicanalista e colunista do site Cris Cardoso. Para falar com ela, escreva para rochelleveras@gmail.com | (11) 94885-7006

"Mulher no volante" | Trocando uma ideia com... Milene Rios (entrevista)
Receita de pasta de atum com iogurte

Comentários

comments

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here