O clã cujo sobrenome atende por Kardashian é sinônimo vivo do chamado ‘toque de Midas’. Seja em qual seara for que a mulherada Kardashian aponte o dedo, PAW! Sucesso, babado e gritaria de público (literalmente) e crítica.

Khloé Kardashian deu um super touché no mundo fashion em 2016, quando lançou sua linha de jenas, e voltou a mostrar o poder que usufrui, agora. Quer ver?

A Good American é a linha de jeans de Khloé. Fechou o primeiro dia de vendas na bagatela de U$1 milhão. Não, você não leu errado. Falamos de UM MILHÃO DE DÓLARES EM UM DIA DE VENDAS, em peças que começam em U$149.

Agora, Khloé deu mais um passo que sacudiu geral o mercado. A Good American fechou parceria com a Nordstrom, fast fashion que até então, colocava a linha de produtos plus-size em uma parte separada na loja.

Acontece que a moça não topou o procedimento habitual de disposição das peças e fechou o negócio com uma condição em contrato: todas as peças devem ser vendidas em um só local, sem seções segmentando tamanhos, sem clientes que vestem numerações maiores se sentindo deslocadas do restante da clientela.

Pode parecer algo trivial, certo? Errado.

A inclusão que a influência de Khloé propõe coloca barreiras abaixo. A marca Good American foi abraçada por celebridades e mulheres anônimas. Veste do 34 ao 58 e tem como pontos altíssimos a diversidade de tamanhos e um conceito que já falei com vocês dezenas de vezes: o fim da nomenclatura ‘normal ou plus size’.

Meu Deus, se encontro a Khloé eu pulo no pescoço dela ou do Head de marketing gênio que definiu isso, juro!

De olho... na Equal - a marca brasileira de moda inclusiva
Tendência fashion: saia balonê de volta?

Comentários

comments

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here